APATA NA MÍDIA

Conheça a história da protetora que usa seu próprio salário para manter ONG em Cajamar (SP)

Tânia Angiolucci tem 57 anos e é funcionária pública da Prefeitura Municipal de Osasco (SP). Há 20 anos, ela morava há cinco minutos de distância do trabalho e tinha uma vida tranquila e confortável. No entanto, algo fazia de Tânia uma mulher com um propósito a mais: o amor pelos animais. Desde criança, ela esteve cercada por cães e gatos e já na vida adulta cuidava de mais de 20 deles. *Clique na imagem para continuar a leitura

Cães têm "currículo" divulgado no Linkedin para estimular adoção

Uma iniciativa que vem ajudando profissionais a se recolocarem no mercado de trabalho agora pode auxiliar também animais carentes a encontrarem um lar. Essa é a aposta da PremieRpet, que está usando a hashtag #AdoteUmCV em seu perfil no Linkedin para divulgar o currículo de cães e gatos para adoção.

Tutores relatam mudanças de vida após adoção de cães na ONG APATA

Resgatar um animal da rua para oferecer a ele dignidade e qualidade de vida é a grande missão de Tânia Angiolucci e do marido, Ibrahim Angiolucci. Juntos, eles fundaram a ONG APATA (Associação de Proteção Animal Tânia Angiolucci), que atualmente abriga 203 cães e 38 gatos, que são amados, respeitados e muito bem tratados, ao contrário da vida que levavam antes do resgate.

× Saiba como ajudar a APATA